As Coisas mais Importantes

[Read the devotional «The Most Important Things» in English.]

Quando pensamos nas coisas mais importantes da nossa vida, no que pensamos? Podemos colocar nesta lista o nosso relacionamento com Deus, família, igreja, amigos e país. Alguns podem até mesmo adicionar à lista o seu trabalho, casa, cão, gato, ou até mesmo o seu carro.Mas, se ao dizermos, “mais importante”, estivermos a falar das coisas pelas quais estamos dispostos a sofrer ou morrer, isto definitivamente reduz a lista.

Na última viagem de Paulo a Jerusalém, ele recebeu vários avisos proféticos sobre o que o esperava. Ele disse, em Atos 20:23, que em cada cidade ele tinha sido advertido pelo Espírito Santo, acerca das prisões e aflições que o esperavam. Os crentes, em várias igrejas pediram-lhe para não ir a Jerusalém, mas ele persistiu. Mesmo o profeta de renome, Ágabo, advertiu Paulo, dizendo que se subisse a Jerusalém ele seria entregue nas mãos dos gentios.

Nenhum destes avisos o convenceu do contrário. Porque insistiu Paulo na sua ida a Jerusalém? O que era tão importante ao ponto de estar disposto a dar a sua vida? Em Atos 20:24, Paulo dá-nos a resposta. Ele diz: “Mas de nada faço questão, nem tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus”.

Três coisas eram muito importantes para Paulo. A primeira, era terminar a sua carreira. A segunda, era completar o seu ministério e a terceira, era testemunhar a graça de Deus. A carreira na vida de alguém refere-se a um propósito. Paulo estava nesta carreira para ser como Jesus. Ele não procurava conforto e longevidade. Ele procurou a transformação. Paulo não viu as dificuldades vindouras como um problema, mas como um processo. Ele não estava preocupado com o que estava a viver, mas preocupava-se para onde ia.

Paulo estava a olhar para o prémio da soberana vocação em Cristo Jesus. Ele estava determinado a terminar bem. O ministério é serviço. Paulo não era um desistente. Ele não seguiu o caminho fácil. Ele soube desde o início que iria pregar perante reis e governantes. Ele estava pronto para ir a Roma, mesmo que isso significasse ser preso. Tinha a mentalidade de um vencedor, não de uma vítima.

Todas as coisas cooperaram para o bem. Ele estava lá para completar o seu ministério, que era levar o Evangelho aos gentios. Quando terminasse, então ele estaria pronto para ir com o Senhor. O testemunho de uma pessoa é o que fica depois dela partir. Paulo tinha transformado muitos testes em testemunhos. Porque passou por açoites, naufrágios, fome e prisão, então, o seu testemunho sobre a graça de Deus tinha “peso”. Ele podia dizer com confiança: “Em todas as coisas somos mais do que vencedores, por meio daquele que nos amou e posso todas as coisas naquele que me fortalece.”

O seu testemunho tem inspirado a Igreja ao longo dos tempos e ele não o colocou em perigo voltando atrás. Agora, a tocha está nas nossas mãos. Seja fervoroso no espírito e corra bem a sua carreira.

Escrituras Para Meditar
Atos 20:18-27; Hebreu 12:2; Filipenses 3:7-14; 4:13; Romanos 8:37

Publicado por

Pr. James Reimer

Pr. James Reimer

James Reimer nasceu em Fairbanks, Alaska, EUA. Apesar de ter sido criado num lar cristão, ele envolveu-se no tumulto da década de 60 e entrou na subcultura das drogas. Na véspera de 1971, em Starnberg, Alemanha, a sua vida mudou radicalmente ao ter um encontro com Jesus Cristo. Leia a biografia completa