Cheio de Graça

[Read the devotional «Full of Grace» in English.]

Jesus, o Filho encarnado de Deus, é cheio de graça e de verdade, (João1:14). Aquele que é desde o princípio, em quem a plenitude da divindade habita, é cheio de graça e de verdade. Se tocares n’Ele, a Sua graça manifesta-se. Se O ouvires, vais ouvir a verdade. A mulher com o fluxo de sangue apenas tocou na orla da Sua veste e foi curada. A graça foi alcançada apenas com um toque, porque Jesus superabundava em graça. Em Cristo, há uma plenitude de bênçãos de todo o tipo. Há uma plenitude de graça para perdoar, para justificar, para santificar e para preservar. Há uma plenitude em todos os momentos; uma plenitude de conforto em tempos de aflição; há plenitude de sabedoria para ganhar riquezas; há plenitude de amor por todas as pessoas, e há plenitude de poder sobre tudo o que o inimigo traz contra nós. O rio da graça está sempre a fluir. Está sempre cheio.

Tradicionalmente a graça tem sido definida como um favor imerecido, mas é muito mais do que isso. Favor tem a ver com a aprovação, com a nossa abertura e amizade para com outros, mas a graça é a influência e o poder divino para ser e fazer. A graça é o poder de Deus disponível para nós os que cremos, dando-nos a capacidade de fazer e ser o que Ele quer que façamos e sejamos. Pela graça fomos salvos e pela graça vivemos. A graça é experimentada nos milagres mais visíveis assim como nas influências sutis do Espírito Santo. É a graça que nos justifica plenamente no sangue de Jesus, que triunfa sobre a morte na ressurreição e que perdoa todos os pecados. Jesus é cheio de graça e de verdade e está em nós, (Colossenses 2:9). A tudo o que Ele tem, foi-nos dado acesso e tudo o que Ele é nós podemos ser.

O Espírito Santo é referido como o Espírito da Graça, (Hebreus 10:29) e Ele, o Espírito Santo, é nosso se pedirmos. Jesus disse que o Pai, que está nos céus, deseja dar boas coisas aos que lhe pedirem, (Mateus 7:11). E, em Lucas 11:13, Ele diz que dará o Espírito Santo àqueles que pedirem. O desejo do Pai é dar. Temos nós o desejo de receber? A graça foi disponibilizada a todos, mas deve ser alcançada pela fé. No entanto, não é uma fé ausente de ação humana. É uma fé que atua, (Tiago 2:21-26). A virtude do Espírito Santo, esse poder de Deus, que nós chamamos graça, é alcançada através da nossa obediência a Deus. A graça e a obediência não são inimigas. Elas andam de mãos dadas. Elas trabalham em conjunto para estabelecer o propósito de Deus aqui na terra.

Fé não é concordarmos mentalmente com a Palavra de Deus. Fé é agir sobre a Palavra de Deus. Smith Wigglesworth costumava dizer: «A fé é um ato.» Deus disse a Paulo que a Sua graça era suficiente para ele. Que o Seu poder seria aperfeiçoado na fraqueza de Paulo, (II Corintios 12:9). Como Paulo agiu de acordo com a Palavra de Deus, ele teve a capacidade divina para superar as adversidades da vida. A fé obediente acede à graça. Kenneth Hagin disse: «Se alguém se aproximar de ti e perguntar: “O que vais fazer agora?” Sorri e responde: “Eu vou agir como se a Bíblia fosse verdadeira!”» Quando Pedro respondeu ao convite de Jesus para sair do barco, e ir ter com Ele sobre a água, ele fez o impossível. Pedro andou sobre a água. Quando os discípulos obedeceram ao Senhor, os 5000 foram alimentados com alguns pães e dois peixes. A graça de Deus abunda, e não tem limites quando há uma resposta obediente à Palavra de Deus. A Sua plenitude da graça é também a nossa plenitude.

Escrituras para meditar
João 1:14-16; Colossenses 1:19; 2:9; Salmos 16:11; Tiago 4:6; Mateus 7:11; Efésios 2:7-8.

Publicado por

Pr. James Reimer

Pr. James Reimer

James Reimer nasceu em Fairbanks, Alaska, EUA. Apesar de ter sido criado num lar cristão, ele envolveu-se no tumulto da década de 60 e entrou na subcultura das drogas. Na véspera de 1971, em Starnberg, Alemanha, a sua vida mudou radicalmente ao ter um encontro com Jesus Cristo. Leia a biografia completa