Deus é…

Muitas vezes, falamos acerca do amor e da alegria de Deus, da Sua misericórdia e paz como se fosse algo que Deus tem, mas a verdade é que estes são atributos ou descrições de quem Ele é. Deus revela-Se a si mesmo através da Sua Palavra e das Suas obras. Até mesmo a criação fala de quem Ele é. A Sua essência é imutável, contudo conhecível. Quando alguém tem algo, esse algo pode perder-se ou ser destruído. Mas, quando falamos sobre quem alguém é, estamos a referir-nos à sua natureza, que não pode ser alterada ou perdida.

Eu tenho amor, mas Deus é amor. O meu amor tem limites, mas o amor de Deus não tem limites. O meu amor pode arrefecer e até mesmo acabar, mas o amor de Deus é sempre intenso e apaixonado. Deus não é um Deus zangado. Ele é misericordioso. Deus pode zangar-se com o pecado e injustiça, contudo está mais disposto a perdoar do que a castigar. A Sua misericórdia dura para sempre. Ele é amor. Ele é misericordioso. Ele é compassivo. Infelizmente, muitas pessoas pensam em Deus como um Deus irado, e têm medo de se aproximar d`Ele. Deus não se debruça sobre nós com uma vara à espera que cometamos um erro para nos castigar. Ele não é assim. Ele é bom… sempre. Ele é amor… sempre. Ele é misericordioso… sempre. «… não querendo que alguém se perca, senão que todos venham a arrepender-se,» (II Pedro 3:9b).

Embora não sendo Deus, posso receber Deus na minha vida. Embora o meu amor seja condicionado e limitado, posso receber o amor que é incondicional e ilimitado. É difícil descrever o amor ou misericórdia de Deus em termos humanos. Charles Spurgeon tentou explicar ao dizer: «A misericórdia de Deus é tão grande, que seria mais fácil esvaziares os mares, ou privares o sol da sua luz, ou tornar o universo estreito, do que diminuir a grande misericórdia de Deus.»O meu amor é como água numa banheira, mas o amor de Deus é como a água no oceano.

No último dia da festa dos tabernáculos, Jesus disse: «Se alguém tem sede, venha e beba de mim. Quem crer em mim, como dizem as Escrituras, rios de água viva fluirão do seu ventre», João 7:37. A imensidade de Deus, veio habitar no homem e, agora, esta fonte interminável pode fluir dele. A Sua misericórdia, que não tem fim, pode ser expressa através do homem. O amor incondicional é agora nosso para darmos aos outros. Não há mal que nos possam fazer, que não possamos ter amor ou misericórdia para perdoar. Porque temos este rio interminável de Deus a fluir no nosso coração, podemos abençoar aqueles que nos amaldiçoam, fazer o bem àqueles que nos fazem mal e perdoar a todos os que nos ofendem.

Deus nunca deixou de nos amar, porque Ele é amor. Nós podemos desviar-nos  da Sua vontade, mas nunca do Seu alcance. Deus odeia o pecado, porque o pecado destrói aqueles que Ele ama. Ele ama os pecadores e deseja perdoar e restaurar cada um. Não é Deus maravilhoso? Gostavas de o conhecer mais?

Escrituras Para Meditar:
I João 7-8; Romanos 14:17; Salmo 145:8-9; João 7:37; 3:16

Publicado por

LogosCC

LogosCC

Instalada no coração de Lisboa, a Igreja Logos Comunhão Cristã, tem como seu paradigma o conceito de uma Igreja não só centrada em si mesma, mas virada para o exterior, para a sociedade portuguesa e para o mundo.