Esperando pela Sua Vinda

[Read the devotional «Waiting For His Coming» in English.]

Desde o início da Igreja, os crentes têm estado à espera da segunda vinda de Jesus. A primeira vinda do Messias Jesus foi precedida por milénios de promessas proféticas e na “plenitude dos tempos” tudo o que foi profetizado aconteceu. Deus deu a primeira palavra profética quando disse que a “semente da mulher” iria esmagar Satanás debaixo dos seus pés (Génesis 3:15). Primeiro, temos a Palavra eterna, depois a manifestação dessa Palavra no tempo e no espaço.

A Bíblia diz que: “Certamente o Senhor Deus não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas” (Amós 3:7). A verdadeira profecia, começa com Deus e depois é ouvida e falada por homens ou mulheres que são divinamente inspirados. Na verdade, há 365 referências no Velho Testamento que falam profeticamente do nascimento, vida e morte de Jesus. Assim como a primeira profecia sobre a vinda de Jesus foi dada por Deus, a Sua segunda vinda foi anunciada pela primeira vez pelo Filho de Deus.

Primeiro, Jesus falou da Sua segunda vinda em parábolas (Lucas 12:35-40), e mais tarde, de forma mais clara, como em João 14:2: “… Vou preparar-vos um lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo…”. No Novo Testamento, um em cada vinte e cinco versículos referem-se à volta do Senhor e ao estabelecimento do Seu Reino aqui na terra. Há mais versículos referindo-se à sua segunda vinda do que à primeira.

Por causa da centralidade da mensagem sobre o regresso de Jesus, os crentes, em todos os lugares e em todas as épocas, têm ansiosamente esperado por Ele. A mensagem da segunda vinda, deu urgência à difusão do Evangelho. Acreditando que a sua geração era a última geração, os primeiros crentes deixaram tudo para dedicarem-se a pregar a mensagem da salvação em Jerusalém, Judeia, Samaria e até os confins da terra. Embora a maioria visse o retorno imediato do Senhor, como um apelo urgente para evangelizar os perdidos, alguns assumiram a posição de espectadores, e ficaram apenas à espera.

Isto aconteceu na Igreja em Tessalónica. Na primeira carta de Paulo, a esta igreja, ele alertou que o dia do Senhor viria como um “ladrão pela noite” (I Tessalonicenses 4:15). Embora, a intenção de Paulo fosse incentivar a igreja a manter-se firme na sua fé e ativa na sua missão, alguns pararam e sentaram-se à espera. Estou certo de que eles pensavam que trabalhar e investir no futuro era um desperdício de tempo, visto que, com a vinda do Senhor, tudo estaria perdido.

No ano 1000, grande parte da Igreja acreditava que o fim do primeiro milénio era o tempo estabelecido por Deus para o retorno de Jesus. Muitos venderam o seu gado, deixaram de trabalhar e foram para lugares altos, vestidos de branco, para esperarem a Sua vinda. Em 1988, Edgar Whisenant, um cientista da NASA e estudante da Bíblia, escreveu o livro: 88 Razões pelas quais o Arrebatamento será em 1988. Mais de 4,5 milhões de cópias deste livro foram vendidas, muitos crentes esperavam ansiosamente que a sua interpretação dos eventos do fim dos tempos fosse precisa.

Alguns deixaram os seus empregos, esgotaram o plafond dos seus cartões de crédito e até mesmo mataram os seus animais de estimação, pois a data prevista do arrebatamento estava próxima. Assim como todas as profecias da primeira vinda de Jesus foram precisas e foram cumpridas, todas as previsões da Segunda Vinda também serão cumpridas. Para evitar a precipitação é prudente seguir a advertência de Paulo aos Tessalonicenses. Ele instruiu-os a não serem ociosos, mas diligentes no trabalho, mantendo-se firmes na sua fé e serem confirmados em toda boa palavra e obra.

Nós todos precisamos de ser ativos enquanto esperamos. Vamos todos, no dia da Sua volta, ser encontrados a fazer a Sua vontade.

Escrituras Para Meditar
Génesis 3:25; Lucas 24:25-27; João 14:1-4; Actos 1:6-11; I Tessalonicenses 4:15-18; 5:2; II Tessalonicenses 1:10-12; 3:6-10

Publicado por

Pr. James Reimer

Pr. James Reimer

James Reimer nasceu em Fairbanks, Alaska, EUA. Apesar de ter sido criado num lar cristão, ele envolveu-se no tumulto da década de 60 e entrou na subcultura das drogas. Na véspera de 1971, em Starnberg, Alemanha, a sua vida mudou radicalmente ao ter um encontro com Jesus Cristo. Leia a biografia completa