Falar Suavemente

Alguma vez disse algo que gostaria de ter dito de uma forma diferente? Talvez a maneira como se expressou foi rude e deixou a pessoa com quem estava a falar ofendida. Alguma vez usou uma linguagem que era muito franca, bruta, ou com calão que envergonhou outros? Se sim, quando reconheceu o que disse, provavelmente sentiu desejo de encontrar um lugar para se esconder. Podemo-nos desculpar, mas não podemos retirar as palavras proferidas.

Nós desculpamos as crianças por dizerem as coisas «tal qual como são», mas quando crescem, devem aprender a escolher as suas palavras  e suavizar a forma de falar para que sejam socialmente aceites. Se uma criança não é educada com disciplina nesta área, ela terá, na sua vida adulta, uma maneira grosseira e rude de falar. Paulo disse a Timóteo para ser bem criado nas palavras da fé e para ser cuidadoso com o seu falar e o seu comportamento. Ele foi exortado a ser respeitoso para com os idosos e para tratar as mulheres com toda a pureza, (I Timóteo 4:6-16).

Eufemismo é uma palavra ou frase usada em vez de outra que seja ofensiva ou dura. É uma maneira de suavizar as palavras que são tabu num contexto social. Nas regras de etiqueta de cada cultura encontramos este jeito de falar (eufemismo). Por exemplo, em vez de dizer que alguém morreu, dizemos que ele faleceu. Usamos nádegas em vez de rabo, casa de banho em vez de sanitário e quando temos que matar um animal, dizemos que é preciso «abatê-lo» ou «acabar com o seu sofrimento». Cada língua tem uma série de eufemismos à escolha para conversar sobre qualquer assunto sensível.

Aprendemos esta forma de «salgar» a nossa conversa através da Bíblia. Quando a Bíblia fala da morte usa expressões como: «adormecer», (I Tes.4:13-14); «ir a teus pais» (Gn. 15:15), ou «partir» (Fp.1:23). Ainda referindo-se a partes íntimas do corpo, as palavras são substituídas para serem menos ofensivas. Referindo-se aos órgãos genitais: «coxa» (Gn. 24:2) e aos pelos pubianos: «cabelos dos pés» (Is. 7:20). A relação sexual é referida como: «conhecer», «chegar» e «entrar» (I Reis 1.4; Lev 18:6; II Samuel 16.21). Para a palavra urinar: «aliviar o ventre», (Juízes 3:24).

Ao falarmos desta maneira não estamos a ser “politicamente corretos”, onde a verdade é esticada ou alterada, para ser aceite pelos ouvintes, mas são as boas maneiras. É uma forma culta de falar, porque se aprende o que é ofensivo e o que não é. Os pescadores e os galileus eram conhecidos pela sua forma inculta e bruta de falar. O que surpreendeu os líderes religiosos da época de Jesus foi que os seus discípulos, sendo galileus eram diferentes na sua forma de discursar.

O tom de voz e linguagem corporal também são meios de comunicação e devem-se vigiar de modo a transmitir uma mensagem que é semelhante à de Cristo, e sem escândalo. Paulo disse à igreja de Colossos que o seu discurso deve ser gracioso, temperado com sal e sábio. Deixem que as palavras da vossa boca sejam aceitáveis aos olhos do Senhor.

Escrituras Para Meditar:
I Timóteo 4:6-16; Colossenses 4:6; Provérbios 18:21; Salmos 19:14; Atos 4:13; Tito 2:8

Publicado por

Pr. James Reimer

Pr. James Reimer

James Reimer nasceu em Fairbanks, Alaska, EUA. Apesar de ter sido criado num lar cristão, ele envolveu-se no tumulto da década de 60 e entrou na subcultura das drogas. Na véspera de 1971, em Starnberg, Alemanha, a sua vida mudou radicalmente ao ter um encontro com Jesus Cristo. Leia a biografia completa