O Poder do Perdão

Quando Jesus estava na cruz, Ele clamou: «Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem» (Lucas 23:34). Jesus já tinha sido submetido à tortura intensa e agora, na cruz, estava em profundo sofrimento. Foi incrível, o facto de Jesus ter perdoado nas circunstâncias em que se encontrava. Muitos de nós queremos apenas deixar passar as circunstâncias e só depois tentamos lidar com as ofensas. Queremos distanciar-nos da dor, antes de perdoar. Jesus perdoou, enquanto Ele estava em sofrimento, antes de morrer. Ele não levou nenhuma mágoa ou ofensa com Ele para o túmulo.

O perdão é sempre imerecido. Se fosse merecido seria justiça e não perdão. O perdão fala da graça. Ele é concedido livremente sobre o infrator. É um presente que se pode dar, mas este presente tem um preço. A Bíblia diz que: «Sem derramamento de sangue não há perdão dos pecados» (Hebreus 9:22b). O pecado da humanidade, que é a dor, ofensa, injustiça, calúnia, etc, que Jesus levou sobre o Seu corpo é o preço que Ele pagou ao perdoar. O perdão não sai «barato». É precioso e dispendioso.

Jesus primeiro perdoou e, em seguida, derramou o Seu sangue, contudo não há perdão sem derramamento de sangue. Então, o que vem primeiro, o ovo ou a galinha? A resposta é: sim. Custa decidir perdoar e quando perdoamos também é custoso. O perdão é o melhor presente que podemos receber e o melhor presente que podemos dar. O perdão é uma bênção para todos, seja para o autor da ofensa ou para o ofendido. Jesus disse: «Bem-aventurados os misericordiosos, pois obterão misericórdia (Mateus 5:7)».

Jesus ensinou-nos a orar desta maneira: «[…] perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores […]» e, mais tarde, na mesma passagem, «se perdoardes aos homens as suas ofensas, vosso Pai celestial também vos perdoará […]» (Mateus 6:11-14). O perdão tem um benefício recíproco. Podemos pensar que estamos a fazer um favor ao perdoar alguém, mas na verdade estamos também a ser beneficiados. Quando perdoamos somos perdoados por Deus. Somos libertos da amargura, ressentimento, e livres das amarras emocionais das mágoas e tormentos mentais que as memórias das ofensas nos causam.

O perdão também serve como uma proteção espiritual para as acusações do inimigo. Quando perdoamos, o Sangue de Jesus fala em nossa defesa. Ele fala da justiça, porque fomos restaurados para nos apresentarmos justos diante de Deus. Ele fala de justiça, porque o preço do pecado foi pago. Ele fala de santidade, porque os nossos pecados foram lavados. Além disso, ele fala de misericórdia, porque não merecíamos ser perdoados.

Escrituras para Meditar:
Hebreus 9:22; Mateus 5:7; 6:9-14; 18:21-35; I Pedro 2:24; Apocalipse 12:11; Gálatas 3:13-14.

Publicado por

Pr. James Reimer

Pr. James Reimer

James Reimer nasceu em Fairbanks, Alaska, EUA. Apesar de ter sido criado num lar cristão, ele envolveu-se no tumulto da década de 60 e entrou na subcultura das drogas. Na véspera de 1971, em Starnberg, Alemanha, a sua vida mudou radicalmente ao ter um encontro com Jesus Cristo. Leia a biografia completa