Luz na Prisão

Há mais de 20 anos, deram-me a conhecer uma necessidade. Fui informada de que um grupo de senhoras precisava de transporte para fazer uma visita a uma prisão. Eu tinha uma carrinha e ofereci-me para as ajudar, indo como motorista. Ao chegar, vi os muros altos e sombrios e os portões e tive o desejo de entrar também. Era a prisão feminina em Tires.

jh_020-helenNaquela altura pareceu-me enorme e senti curiosidade. Mostrei o meu Bilhete de Identidade, passei pelo detector de metais e foi-me permitida a entrada, ficando logo combinado de que eu iria tratar do meu cartão de visitante para poder voltar lá. O meu cartão foi emitido em pouco tempo e quando vi a data fiquei maravilhada. Era a data do meu aniversário! A minha prenda tinha sido ir à prisão em Tires! Por incrível que pareça, quando segui o grupo de senhoras visitantes, naquele primeiro dia, foi “amor à primeira vista”! Senti-me em casa. Foi confortável e apreciei aquilo que observei. Vi rostos amigáveis, com corações humildes e abertos. Elas precisavam de um Salvador, Jesus, o Meu Melhor amigo. Quem era eu para julgar ali a culpa de quem quer que fosse? Estas queridas mulheres poderiam vir a fazer parte da família cristã, aceitando a salvação de Jesus, pedindo perdão pelos seus pecados e sendo libertas deles. Ainda que temporariamente presas, seria possível cantar, como um canário numa gaiola, sabendo que por Jesus estavam livres, pela fé. O amor de Deus por cada mulher detida é imenso. Ele conhece o caminho para sair da escuridão e desfrutar da sua luz eterna. Tal como num dia de tempestade o sol continua a existir, sabemos que Jesus é um Amigo sempre presente, mesmo nos tempos mais difíceis. “A cana trilhada, não a quebrará, nem apagará o pavio que fumega; (…) Eu, o Senhor, te chamei em justiça: tomei-te pela mão e te guardei.” Isaías 42:3,6. É esta mensagem de esperança que arde em nós e nos leva semanalmente à prisão, ao encontro destas mulheres preciosas.

Entre as várias congregações representadas na nossa equipa existe uma forte ligação de união, paz e alegria entre nós. Uma vez por mês, passamos um dia juntas com o fim de reforçar a nossa união e amizade. Quando vamos visitar as reclusas, temos uma lista com os seus nomes, que irão ser chamados pelas guardas prisionais. Oramos por elas, desejando que possam vir à reunião. Muitas têm trabalhos a fazer ou estão em aulas, por isso nunca sabemos com quantas reclusas iremos estar. Uma vez iniciada a reunião, depois de um tempo de oração e de louvor com alguns hinos, temos um estudo bíblico. Por vezes dividimo-nos em pequenos grupos e, na parte final, juntamo-nos de novo para orar. Temos partilhado entre nós a alegria e a gratidão de ver orações respondidas, como uma família, em que vemos a fé e a esperança a crescer em cada uma de nós. Damos uma especial ênfase ao Natal e à Páscoa. Não temos tido fundos oficiais mas cada uma de nós contribui voluntariamente com aquilo que pode, de modo que algumas vezes adquirimos pequenas lembranças para as reclusas, de acordo com as regras prisionais acerca daquilo que podem receber.

Louvamos a Deus porque temos visto alguns sonhos tornar-se realidade e vidas a ser reconstruídas. Agradecemos as suas orações por este trabalho. Se desejar mais informação, sinta-se livre para nos contactar.


CapaMC21Este texto foi publicado no n.º 21 (Maio/Junho 2009) da revista Mulher Criativa.

Mulher Criativa é uma revista bimestral, de inspiração cristã, editada em Portugal. Tem como objectivo ser encorajamento e oferecer formação e inspiração a mulheres. Constitui uma leitura muito agradável e edificante, em 52 páginas recheadas de artigos, informações, notícias, sugestões direccionadas às mulheres de hoje.

Mais informações em www.mulhercriativa.org e na página de facebook.

Publicado com permissão.

Publicado por

LogosCC

LogosCC

Instalada no coração de Lisboa, a Igreja Logos Comunhão Cristã, tem como seu paradigma o conceito de uma Igreja não só centrada em si mesma, mas virada para o exterior, para a sociedade portuguesa e para o mundo.