Manter a alegria

Com a visitação de Deus ao Seu povo, vem o arrependimento e a celebração.

O arrependimento vem porque vemos Deus, e quem Ele é, e reconhecemos a nossa realidade, o quão afastados estamos da Sua vontade. Logo a seguir, vem um profundo sentimento de alegria no Senhor, pela restauração das nossas vidas, e a reconciliação com Deus.

Se tudo se transforma com a manifestação da presença do nosso Deus vivo, porque  é tão raro haver esta visitação?

Uma das razões, que tenho encontrado, é que o Senhor só se manifesta e revela a Sua essência quando a Sua presença é desejada e valorizada.

Isto faz-me lembrar os momento em que  grandes amigos se juntam para jantar, e há um desejo grande de partilhar assuntos íntimos   e estreitar os nossos laços de amizade. Mas durante o jantar há um que está sempre a olhar para o seu telemóvel, não  dá a atenção devida aos seus amigos. Neste cenário, mesmo com uma grande amizade é inevitável não haver um sentimento de rejeição. Devido à distracção com o telemóvel, os outros vão sentir-se desvalorizado.

Este exemplo é um bocado corriqueiro mas espero que consigam entender a ideia. O nosso Deus deseja muito um relacionamento connosco, mas o nível de intimidade que temos com Ele depende da nossa busca e do quanto focamos a nossa atenção n’Ele. A glória de Deus só vai habitar onde há  reverencia e temor por quem Deus é e pela Sua presença.

Lanço este desafio: larga todas as coisas que te distraem e busca a manifestação de Deus, através do Seu Espírito Santo, e em temor e tremor celebra com jubilo a Sua bondade.

Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós.
Tiago 4:8

Tu és respeitado na assembleia deles, és temido por todos os que estão ao teu redor.
Salmos 89:7

Servi ao Senhor com temor e alegrai-vos com tremor.
Salmos 2:11

… tinham paz e eram edificadas; e se multiplicavam, andando no temor do Senhor e na consolação do Espírito Santo.
Atos 9:31