Acções de Graças

Durante minha infância em Fairbanks, no Alaska, não me lembro de iniciarmos uma refeição sem uma oração de acções de graças. A maioria das vezes, era o meu pai quem orava, mas, à medida que crescíamos, esta prática começou a ser partilhada entre nós. Nunca fazíamos uma oração longa, mas eram sempre ditas estas palavras: “Obrigado Senhor, por estes alimentos que estamos prestes a comer.”

Mais tarde, na minha adolescência, pensei que este ritual diário era religioso e, quando sozinho com os meus amigos, não fazia esta oração. Já não dava graças à Deus pelo que tinha e comecei a viver como se tudo na minha vida dependesse de mim. Com isto, iniciei um declínio, que terminou num profundo desespero e na perda de tudo o que tinha.

Quando, em Actos, o apóstolo Paulo encontra-se no meio de uma tempestade, que dura semanas. Aparentemente, tudo estava perdido. Contudo, ele encorajou os que estavam no navio a comerem uma refeição, antes do naufrágio, para que se pudessem fortalecer. Parecia não haver razões para dar graças, mas, num navio cheio de descrentes, ele deu graças (Actos 27:35). Qual foi o resultado? Todos foram salvos.

As orações de acção de graças, colocam-nos debaixo da protecção de Deus. Estamos a honrar Deus como Deus. A fonte de tudo, da vida e de todo o bem. Isto coloca-nos numa posição de receber d`Ele. Então, em cada refeição, em todo o lugar e em todo o tempo, vamos dar graças à Deus.

Escrituras para meditar: Romanos 1.21; II Timóteo 3.2; I Timóteo 2.1; 4.4-5; Filipenses 4.6.

Publicado por

Pr. James Reimer

Pr. James Reimer

James Reimer nasceu em Fairbanks, Alaska, EUA. Apesar de ter sido criado num lar cristão, ele envolveu-se no tumulto da década de 60 e entrou na subcultura das drogas. Na véspera de 1971, em Starnberg, Alemanha, a sua vida mudou radicalmente ao ter um encontro com Jesus Cristo. Leia a biografia completa