Correndo atrás do Vento

No dia de Pentecostes, 120 crentes estavam reunidos no cenáculo, quando ouviram um ruído e um vento impetuoso encheu o lugar. Esta foi a entrada “dramática” do Espírito Santo. As línguas de fogo pousaram sobre cada um e todos foram cheios do Espírito Santo. Os crentes ficaram exuberantes. Poucos dias antes, eles tinham medo de aventurar-se nas ruas, mas agora uma nova ousadia tinha enchido os seus corações. Enquanto louvavam publicamente ao Senhor reuniu-se uma multidão. As línguas que eles estavam a falar para louvar a Deus eram entendidas pelas pessoas de diferentes nações ali presentes. Alguns pensaram que eles estavam bêbados, pois este foi realmente um evento extraordinário. Pedro levantou-se com os outros onze apóstolos e começou a pregar. Neste dia, houve um reavivamento em Jerusalém e a Igreja nasceu. Naquele primeiro dia converteram-se e foram batizadas 3000 pessoas. Depressa o número de crentes cresceu em Jerusalém, à medida que o Espírito Santo era derramado.

O avivamento é uma experiência hilariante. É quando o Espírito Santo faz num momento o que o homem esforça-se para fazer a vida inteira. Os corações endurecidos são quebrantados, o homem pecador arrepende-se, o amor dissolve a amargura, milagres acontecem e demónios fogem. Quando o Espírito Santo está em movimento, a Igreja cresce de uma forma fenomenal. Embora, os avivamentos devessem ser normais na maioria das vezes são esporádicos e sazonais. A Igreja em todo o mundo tem fome de avivamento. Quando há notícias de que o Espírito Santo está a mover-se em qualquer lugar, os crentes viajam de qualquer parte do mundo para participar nessa experiência. Foi o que aconteceu na Rua Azusa Revival de 1906. Mais de 50 mil pessoas de vários países viajaram para Pasadena, Califórnia, para receber o batismo do Espírito Santo. O mesmo aconteceu no País de Gales em 1904, Amherst College em 1970, em Toronto na década de 1980, em Pensacola, Flórida na década de 1990 e tantos mais.

O vento é uma metáfora usada para o Espírito Santo. Jesus disse a Nicodemos que o Espírito Santo é como o vento que sopra onde quer, e tu o escutas, mas não podes dizer de onde vem nem para onde vai. Quando João Batista estava a ser usado pelo Espírito Santo, ele era como «uma cana agitada pelo vento», (Mateus11:7), e as pessoas correram para o deserto para ver o que estava a acontecer. O mover do Espírito Santo sempre atrai uma multidão. Há uma fome pelo sobrenatural e as pessoas vão interromper as suas rotinas para correrem atrás deste vento. Ao fazê-lo alguns recebem, outros não, e alguns são levados por ventos enganosos.

O Espírito Santo deve ser convidado para a tua vida. Jesus disse a Nicodemos que aqueles que nasceram do Espírito são aqueles que foram movidos por este vento. Em todos os avivamentos ao longo da história da Igreja, as pessoas estavam reunidas, oravam e louvam ao Senhor. Os seus corações estavam unidos quando levantavam o Senhor e o Espírito Santo foi derramado. Ele respondeu às orações e desejos do Seu povo. Jesus advertiu os seus discípulos para não irem atrás de todos que dizem que Cristo está aqui ou Cristo está ali (Mateus 24:23-27). A Sua advertência foi para que a Igreja se reunisse e buscasse o Senhor em oração. Devemos ser a Igreja que Ele vai encher e capacitar. Em vez de perseguir o vento, vamos abrir as nossas velas (corações) e Ele vai encher-nos de novo.

Escrituras Para Meditar:
Eclesiastes 1:14-17; Efésios 4:14; João 3:8; Mateus 24:23-27; Atos 2:1-4; Salmos 145:4-6.

Publicado por

Pr. James Reimer

Pr. James Reimer

James Reimer nasceu em Fairbanks, Alaska, EUA. Apesar de ter sido criado num lar cristão, ele envolveu-se no tumulto da década de 60 e entrou na subcultura das drogas. Na véspera de 1971, em Starnberg, Alemanha, a sua vida mudou radicalmente ao ter um encontro com Jesus Cristo. Leia a biografia completa