Andar em Amor

[Read the devotional «Walking in Love» in English.]

Há uns anos, hospedamos alguns amigos dos Estados Unidos e um dia saímos para visitar alguns castelos aqui em Portugal. Ao caminhar a nossa filha mais nova, que tinha apenas cinco anos, disse: «Mamã, papá, sabem o que faço quando fico cansada de andar?»

A mãe perguntou: «O quê, querida?» ela sorriu e respondeu: «eu corro». Nós sabíamos que ela estava fisicamente cansada e, às vezes, ficava para trás mas o seu doce positivismo animou a nossa alma naquele dia.

Em Efésios 5, versículos 1 e 2, Paulo diz à Igreja de Éfeso para imitar Deus, caminhando em amor. Andar a pé é um movimento de avanço. Quando paramos, não estamos mais a avançar. Tu não podes imitar a Deus quando meditas sobre o amor ou por sentires amor. Tu não imitas Deus ao fazer estudos bíblicos sobre o amor ou ao ficares preso pensando nos amores do passado. Tu deves andar. Tu podes cansar-te de amar. Tu podes magoar-te por amar e podes até pensar que não vais amar mais, mas Deus é amor e se tu continuares a andar as tuas forças vão voltar. Andar em amor é não estar parado. Charles Spurgeon disse: «Foi com perseverança que o caracol alcançou a Arca.»

Ao longo dos últimos 40 anos do nosso ministério, tenho visto muitas pessoas simplesmente desistir. Algumas desistiram do seu casamento, outras dos seus sonhos, e outras da Igreja. Tornam-se como uma tartaruga e fecham-se em si mesmas, tentam proteger-se de se magoar. Já vi outras, que no meio de todas as adversidades, simplesmente se levantam e seguem em frente. Em vez de se tornarem amargas elas tornam-se melhores pessoas. Admiro estes guerreiros, que estão sempre a semear sementes de amor e perdão. Se a tartaruga sair da sua carapaça e continuar a andar, ela vai ganhar a corrida a qualquer lebre.

Muitas das grandes invenções que temos hoje vieram daqueles que não desistiram. Thomas Edison, falhou mil vezes antes de inventar a lâmpada incandescente. Henry Ford, foi à falência cinco vezes antes de conseguir construir o seu primeiro carro. Walt Disney, foi demitido do seu primeiro emprego, porque foi-lhe dito que ele não tinha criatividade e foi várias vezes à falência antes de construir a Disneyland. Há muitas mais histórias como estas que podem ser compartilhadas; tu podes ter as tuas próprias histórias para contar. Paulo disse para continuarmos a caminhar. O amor não tem limites, por isso, anda como Jesus andou.

Ezequiel teve uma visão de um rio que vinha da Cidade de Deus, (Ezequiel 47). Ele foi convidado para medir esse rio e, de início, a água dava-lhe pelos tornozelos. À medida que avançava alcançou os joelhos. Quando a água de um rio chega aos joelhos, podemos sentir a sua força a querer arrastar-nos, Ezequiel continuou a andar até que a água chegou à sua cintura. Ele ainda podia manter-se de pé, mas tornava-se difícil. Ele podia parar e até mesmo sair, mas nas saídas existem apenas pântanos e águas estagnadas. Ele continuou até que as águas se tornaram mais profundas e ele não podia controlar. As árvores do Rio de Amor produzem frutos durante todo o ano e cura para todas as nações. Quanto mais tu avanças, melhor é. Aqui é onde nós entendemos Paulo, quando diz que o amor nos constrange, (II Coríntios 5:14). Nada mais importa, para além do amor. Então amigos, continuem a andar.

Escrituras Para Meditar
Efésios 5:1-2; Romanos 14:15; Ezequiel 47:1-9; II Coríntios 5:14

Publicado por

Pr. James Reimer

Pr. James Reimer

James Reimer nasceu em Fairbanks, Alaska, EUA. Apesar de ter sido criado num lar cristão, ele envolveu-se no tumulto da década de 60 e entrou na subcultura das drogas. Na véspera de 1971, em Starnberg, Alemanha, a sua vida mudou radicalmente ao ter um encontro com Jesus Cristo. Leia a biografia completa