O Inimigo do Melhor

[Read the devotional «The Enemy of the Best» in English.]

Quando se pensa em um inimigo, pensa-se em um oposto. Por exemplo, o oposto do amor é o ódio, do quente é o frio, do grande é o pequeno, do sucesso é o fracasso, etc. No entanto, há um inimigo que é difícil de distinguir, é o inimigo do melhor que é o bom. O bom e o melhor geralmente são vistos como aliados, mas, na maioria das vezes, é o bom, e não o pior, que nos impede de alcançar o melhor.

Quando o rei Saul entrou em guerra com os Amalequitas, ele foi instruído por Deus para aniquilar todas as pessoas e todos os animais. Ninguém devia ser poupado. O Rei Saul conquistou uma grande vitória no campo de batalha, mas em vez de obedecer, ele salvou o rei dos Amalequitas e algum gado. Samuel, o profeta, confrontou Saul pela sua desobediência e Saul respondeu dizendo que ele tinha guardado o gado para o oferecer como sacrifício ao Senhor. Foi uma boa decisão, não concordas? No entanto, Deus disse: “Que a obediência é melhor do que o sacrifício,” (I Sm. 15:22).

Naquele dia o Rei Saul perdeu o reino. O bom foi inimigo do melhor. O bom é como as medalhas de prata ou de bronze nos Jogos Olímpicos. Quando um atleta treina para um evento, ele não se esforça para o bronze ou mesmo para a prata. Ele esforça-se para alcançar a medalha de ouro. É bom ser-se bem-sucedido; ter um trabalho pelo qual és bem pago, ou sobressair na escola, mas isto não é o melhor. Jesus perguntou aos discípulos que proveito teria o homem se ganhasse o mundo inteiro e perdesse a sua alma, (Mt. 16:24-26)? A vida espiritual é muito mais importante do que qualquer coisa boa que este mundo possa oferecer.

Vamos ser práticos. Estamos a criar os nossos filhos para alcançarem o bom ou o melhor? Será que lhes exiges mais dos estudos escolares do que do estudo da Bíblia? Que prioridades queremos incutir nas suas vidas? Muitas almas foram perdidas pela influência do mundo, e nem todas foram pelas tentações que nos conduzem ao pecado, mas sim pelo valor atribuído à realização pessoal. É importante alcançarmos o bom em tudo o que estamos empenhados, mas não a ponto de negligenciar o melhor. O rei Davi, que tinha tudo, disse o seguinte: “Um dia nos teus átrios é melhor do que mil em outro lugar.

Eu preferiria ser um porteiro na casa de meu Deus do que morar nas tendas de maldade,” (Sl. 84:10). Ele estava pronto para trocar a fama, posição, riqueza e poder que este mundo pode oferecer por apenas um momento na presença do seu Deus. Ele sabia o que era o melhor. Algumas pessoas pensavam que seguir Jesus era uma coisa boa. Jesus queria que fosse a melhor coisa, por isso desafiou-os a deixar tudo. As suas respostas foram: “Deixa-me primeiro enterrar o meu pai”, ou “Deixa-me primeiro dizer adeus à minha família”; com certeza tudo isto são coisas boas.

Mas, Jesus não pensava assim. Colocar a família em primeiro lugar não era o melhor. O melhor era seguir o Senhor e obedecer-Lhe, mesmo quando isso significava que o bom precisava vir em segundo lugar. A chave para alcançar o melhor encontra-se em Mateus 6:33. Ele diz: “Buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” “Todas estas coisas” são encontradas nos versículos anteriores. Coisas como roupas, alimentos, renda, etc.; tudo de bom, mas não o melhor. Poderíamos adicionar à lista de coisas como: telemóveis, tablets, marca de tênis, etc, tudo bom, mas será que elas têm prioridade sobre dar aos pobres e apoiar o ministério da Igreja através de dízimos e ofertas?

Este versículo em Mateus era o versículo da vida do meu pai. Ele viveu segundo esta verdade e eu vi como Deus acrescentou todas as coisas. Ele foi dedicado à sua igreja, nunca perdeu uma reunião, evento ou oportunidade de servir. A sua doação cresceu ao longo de sua vida de 10% a 100% do seu salário, e ele ainda tinha mais do que suficiente para si e para a sua família.

Vale a pena desejar o melhor.

Escrituras Para Meditar
I Samuel 15:22; Salmos 84:10; Mateus 6:33; 16:24-26; Lucas 9:60

Publicado por

Pr. James Reimer

Pr. James Reimer

James Reimer nasceu em Fairbanks, Alaska, EUA. Apesar de ter sido criado num lar cristão, ele envolveu-se no tumulto da década de 60 e entrou na subcultura das drogas. Na véspera de 1971, em Starnberg, Alemanha, a sua vida mudou radicalmente ao ter um encontro com Jesus Cristo. Leia a biografia completa