Os Setenta

No décimo capítulo do livro de Lucas, Jesus envia setenta dos seus discípulos, à frente d`Ele, por todas as aldeias. Ele enviou-os dois a dois. Os doze de Jesus não estavam incluídos nestes setenta crentes. Não sabemos os seus nomes, ou qualquer outra informação sobre eles, a não ser que eram seguidores de Jesus. No capítulo anterior, lemos sobre um conflito que surgiu na «primeira fila» de discípulos (os doze). Eles discutiram sobre quem seria o maior no Reino, mostraram-se impotentes na expulsão de demónios e ainda queriam mandar descer fogo sobre uma aldeia samaritana, por esta não receber Jesus. Era como se, estes escolhidos, estivessem numa «página» diferente da de Jesus. Eles não entendiam o que Jesus ensinava sobre o Reino de Deus. No capítulo dez é como se Jesus, estivesse a dizer: «Amigos, sentem-se e observem o que eu estou realmente a dizer.»

Os setenta, pessoas sem rosto e sem nome, receberam quatro instruções básicas antes de serem enviados. Foram orientados a fazer o que qualquer um de nós pode fazer. Jesus estava tão confiante do seu sucesso que lhes disse para não levarem nada com eles. Eles não deveriam levar provisões extras, ou um segundo conjunto de roupas, por outras palavras, nenhum «plano B». Jesus disse-lhes para se manterem focados no plano, e assim iriam ver a glória de Deus.

O plano era este: Em primeiro lugar, eles deveriam ir às casas das pessoas e declarar bênção sobre cada casa. Eles deveriam dizer: «A paz esteja nesta casa!» Agora, isto é muito fácil de fazer. Eu acho que todos nós podemos fazer isso. Abençoar é dizer algo positivo, é declarar o que é bom. É dizer: «Que bela casa que tu tens… gosto da forma como decoraste a tua casa… os teus filhos são tão bonitos… etc.» Podes fazer isto? Eu posso.

O próximo passo era comer com elas. Quando tu abençoas, tu serás abençoado. É normal, oferecer algo para beber ou comer quando alguém (que não seja um vendedor) entra na nossa casa, especialmente se a pessoa for simpática. O Senhor disse aos setenta para aceitarem o convite e comerem com elas. Quando se come juntos algo acontece. As barreiras quebram-se entre as pessoas. Jesus sabia que, quando as pessoas compartilham uma refeição, elas também começam a compartilhar as suas vidas. Elas abrem o seu coração e falam sobre os seus problemas. Se houver alguém doente ou a passar por uma crise vai ser revelado.

Quando isso acontece, aplica-se a terceira instrução. Estes discípulos deveriam orar por aqueles que precisavam. A oração da fé iria curar os doentes. E aconteceu como Jesus disse que iria acontecer. Muitos foram curados e até mesmo demónios foram expulsos. Depois de uma manifestação do poder de Deus então, estes setenta deveriam cumprir a quarta instrução: dizer que o Reino de Deus tinha chegado até eles. Eles deviam partilhar com essas pessoas as Boas Novas.

Os setenta eram como qualquer um de nós. A maioria de nós não é famosa e talvez não temos muito conhecimento bíblico, mas podemos fazer o que Jesus nos disse para fazermos e sermos um instrumento de bênção para tantas pessoas que estão a sofrer. Os doze tiveram que aprender com os setenta que «nada era acerca deles», mas sim acerca de ajudar outros para que viessem a conhecer o Senhor.

Escrituras Para Meditar:
Lucas 10:1-9; Atos 10:38; II Pedro 3:9; João 3:16; I Timóteo 2:4.

Publicado por

Pr. James Reimer

Pr. James Reimer

James Reimer nasceu em Fairbanks, Alaska, EUA. Apesar de ter sido criado num lar cristão, ele envolveu-se no tumulto da década de 60 e entrou na subcultura das drogas. Na véspera de 1971, em Starnberg, Alemanha, a sua vida mudou radicalmente ao ter um encontro com Jesus Cristo. Leia a biografia completa