A geração de Josué

Quando eu era novo convertido, ouvi profecias que diziam que a nossa geração era a Geração de Josué, e recentemente ouvi isto novamente sobre a geração presente. De alguma maneira, creio que todas as gerações, desde o tempo de Cristo, creram que são a geração que herdará a terra, que entrará no cumprimento das promessas e verá a vinda do Senhor. A rotulagem de uma geração como “baby boomers“, “geração x” os “milénios”, serve para tentar entender as suas peculiaridades e características, mas o seu chamado e destino é o mesmo durante todo o tempo. Cada geração está em transição e cada geração deve cumprir a sua parte no propósito de Deus.

Biblicamente falando, uma geração abrange os 40 anos produtivos de um indivíduo (a (idade dos 20 aos 60 anos). Por causa da desobediência de Israel, a geração dos 20 anos para cima morreu no deserto. Depois de 40 anos, uma nova geração liderada por Josué, com uma nova natureza, poderia entrar na Terra Prometida. Esta “Geração de Josué” era obediente, submissa e visionária. Em vez de pensarmos que a nossa geração é a “escolhida”, vamos examinar as características daqueles que cumpriram o seu destino, herdaram as promessas e influenciaram a sua geração.

Pensar geracionalmente é uma identidade e tem origem em Deus. Quando Deus revelou o Seu nome a Moisés, Ele disse que Seu nome é: “EU SOU o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó” (Êxodo 3:15). Deus não apenas disse que Ele era o EU SOU, mas relacionou-se geracionalmente com o homem. De um homem veio uma família, desta veio uma nação que encheu a terra. Deus é Pai, “de quem toda família no céu e na terra toma o nome” (Efésios 3:15). Somos uma parte de uma continuidade; Uma linhagem familiar. Ele coloca os solitários em famílias (Sl. 68:5-6). Em uma família, há formação, desenvolvimento e reprodução.

O discipulado está no cerne desta identidade geracional. Moisés discipulou Josué. Josué acompanhou-o até o monte Sinai, esteve com ele na Tenda da Reunião, foi treinado para a guerra e recebeu o seu mandato. A promessa não começou com Josué, nem terminou com Josué. Ele estava apenas a fazer a sua parte no plano de Deus. Em uma família, devemos treinar os nossos filhos na maneira em que devem andar. As crianças precisam ser ensinadas, disciplinadas e capacitadas. Elas são a esperança para o futuro. Moisés disse aos filhos de Israel que ensinassem os seus filhos enquanto eles estavam a andar, sentados a comer e quando fossem dormir (Deuteronómio 6:7). A diligência de um Pai, para discipular os seus filhos, garantiria que a bênção de Deus continuaria de geração em geração.

No final da vida de Josué, ele declarou: “Quanto a mim e à minha casa, serviremos ao Senhor” (Josué 24:15). Assim como Moisés tinha passado o seu mandato para Josué, assim fez Josué com seus filhos. Pensar geracionalmente é pensar em transferência. Paulo disse a Timóteo que tomasse o que havia recebido dele e transmitisse a homens fiéis, que fariam o mesmo (II Tim. 2:2). Jesus concentrou o Seu ministério em fazer discípulos. A Grande Comissão é “fazer discípulos de todas as nações” (Mateus 28:19). A próxima geração é essencial para que os propósitos de Deus se realizem. Para ser uma “geração de Josué”, nós devemos olhar além das nossas próprias vida e interesses. Devemos pensar, orar e planejar geracionalmente. Lembra-te, o que fazes com moderação, os teus filhos, (discípulos), vão fazer em excesso. Muitos concentram-se em si mesmo; Espero que não sejamos nós. Desejo que o nosso zelo por Deus e a dedicação ao Seu propósito se multipliquem nas gerações vindouras.

Escrituras para meditar
II Tim. 2.2; Joshua 1.1-8; Deut. 6.4-9; Prov. 20.7; 22.6; Ps. 127.3-5

Publicado por

Pr. James Reimer

Pr. James Reimer

James Reimer nasceu em Fairbanks, Alaska, EUA. Apesar de ter sido criado num lar cristão, ele envolveu-se no tumulto da década de 60 e entrou na subcultura das drogas. Na véspera de 1971, em Starnberg, Alemanha, a sua vida mudou radicalmente ao ter um encontro com Jesus Cristo. Leia a biografia completa